Entre o Mar e a Mata

Cidadelle Praia do Sul tem localização privilegiada, infraestrutura completa de lazer, moradia e segurança

Por Auriana Bacelar

Entre o azul do mar e o verde da Mata Atlântica, o Cidadelle Praia do Sul é o novo empreendimento que traz o padrão de qualidade e o diferencial da marca Cidadelle. A localização é especial: o condomínio de lotes residenciais fica em área cercada de mata preservada e em frente à Praia dos Milionários, a mais bem estruturada e movimentada de Ilhéus, na Bahia.

O conceito de bairro planejado, já aplicado com sucesso no Cidadelle House, na rodovia Ilhéus-Itabuna, serviu como referência para muitos condôminos que adquiriram lotes no Cidadelle Praia do Sul, como é o caso da advogada Luciana Nalim. “Sou frequentadora do Cidadelle House e trago comigo a expectativa de que o Cidadelle Praia seja parecido. Conhecer o House foi o diferencial que nos fez adquirir um lote no Praia. Espero poder curtir um pouco mais meu tempo livre brincando com meu filho no clube, pedalando com ele e meu marido no condomínio, praticando atividades físicas diversas ou apenas relaxando e contemplando uma bela vista”, diz entusiasmada.

Localização privilegiada

Além das belezas naturais, a localização também é privilegiada no contexto urbano de Ilhéus. O Cidadelle Praia do Sul fica a apenas 3 km do Aeroporto Jorge Amado, que é a porta de entrada para outras cidades da Costa do Cacau, como Itacaré, Canavieiras e Itabuna. O empreendimento fica também ao lado do Assaí Atacadista, que foi inaugurado recentemente na cidade, e oferece uma grande variedade de produtos num só lugar.

Segurança

O engenheiro, Sérgio Mota, destaca a segurança como outro ponto importante do empreendimento. “A segurança é um item que a gente sempre preza nesse conceito de bairro planejado, que é o Cidadelle. É um condomínio fechado, todo preparado para receber o sistema de monitoramento CFTV (Circuito Fechado de TV), guarita para controle de acesso, enfim com toda uma tecnologia para garantir a segurança e tranquilidade do condômino”, explica.

O clube:

Piscina adulto com deck molhado e borda infinita;

Duas hidromassagens;

Piscina infantil;

Restaurante;

Dois mirantes com vista para o mar;

Banheiros; 

Academia;

Duas quadras de squash;

Salas de ginástica e pilates;

Saunas seca e molhada;

SPA;

Vestiários;

Piscina aquecida, coberta e semiolímpica;

Duas churrasqueiras;

Quadra society com arquibancada;

Duas quadras de tênis com arquibancada;

Quadra poliesportiva;

Pista de skate;

Pista de patinação;

Quadra infantil;

Parque infantil com quiosque;

Cinema;

Salão de jogos adulto;

Garage band;

Salão de jogos infantil;

Brinquedoteca com fraldário; 

Dois salões para eventos;

Espaço gourmet;

Elevadores;

Mais de 100 vagas de estacionamento;

Espaço para cinco lojas;

Bahia das Artes

Com um cenário artístico vivo, diverso e cheio de perspectivas, mercado de arte baiano é alternativa para quem deseja investir com segurança.

Por Joseanne Guedes

Ahh! A Bahia. Da Bossa Nova de João Gilberto, da poesia de Castro Alves, da literatura do itapariquense João Ubaldo Ribeiro, do cinema pioneiro de Glauber Rocha. Nosso estado tem filhos ilustres na arquitetura, desenho, escultura, pintura, dança e teatro. Desde o século XVII, os artistas baianos mostram, nas artes plásticas, fusões emocionantes e novas perspectivas sobre a sociedade. A Cidadelle conversou com artistas sobre suas experiências e profissionais que atuam no mercado local de arte, ou em instituições culturais, para entender os significados múltiplos da obra de arte na contemporaneidade e as potencialidades do setor.

Conhecido como “Picasso do Povo”, o artista visual baiano, Bel Borba, tem sido destaque na imprensa internacional. Ele já estampou os grandes telões da Times Square, em Nova York, e acaba de entregar ao Paseo de Recoletos, em Madri, uma escultura permanente de 900kg de bronze em homenagem aos refugiados. “A minha obra é minha maneira de circular dentro do circuito cultural”, disse. Uma produção permanente e coesa evidencia a maturidade do artista. “São 50 anos de experiência. Produzo geralmente 21 telas por ano, com ou sem demanda de mercado, com ou sem exposição marcada. A arte tem que traduzir e representar a vida, nossa existência. Arte sem alma é mero entretenimento”, afirma.

Identidade – Quem entra no salão do Restaurante Amado, referência da alta gastronomia em Salvador, se depara com o Tridente de Exu, um totem assinado por Gustavo Moreno, em alusão ao orixá. A obra sintetiza uma característica marcante do artista hiper-realista. “O meu trabalho fala da minha cidade, cruzo a arquitetura vernacular, local com a religiosidade. É uma colagem das experiências por mim vividas no tempo e na influência do religioso que minha cidade proporciona, em busca de identificações”. Filho de Tatti Moreno e Mimi Fonseca, sua história com a arte começou cedo. “Cresci vendo minha mãe pintar e meu pai esculpir”, diz.

As obras de Gustavo Moreno compõem o acervo da Paulo Darzé Galeria, um requisitado espaço com mais de três décadas de atuação, dedicado a artistas contemporâneos nas suas mais variadas expressões, linguagens e técnicas. O diretor da instituição, Paulo Darzé, avalia o panorama do segmento na Bahia. “A produção artística ficou mais consistente, com um mercado mais profissional, uma crítica com uma atuação mais decisiva e um público mais receptivo”, enfatiza.

Nas exposições temporárias individuais, coletivas e mostras permanentes, Darzé traz obras do gênio Aurelino dos Santos com suas formas e cores, além de outros talentos, como Mario Cravo Neto, Tunga e Vauluizo Bezerra, e artistas de trajetória mais recente, como Cristhian Cravo, Caetano Dias e Yuri Sarmento. “A arte representa a declaração mais viva sobre a história do homem, o depoimento mais verdadeiro do aqui e do agora”, destaca o marchand.

Hábitos culturais – “O papel da arte em qualquer tempo é o de provocador e propositor de ideias capazes de estimular a percepção humana”, salienta Ricardo Portela. Há 12 anos, ele comprou obras que foram oferecidas por um amigo, com interesse de começar uma coleção particular. Por acaso, vendeu uma delas e obteve um bom lucro. “Comecei a frequentar galerias, leilões, além de consumir leituras relacionadas”, afirma o filho da artista plástica Márcia Portela. Até os oito anos de idade, o atelier da mãe era como o quintal de casa.

Segundo Portela, para o mercado de arte ser exuberante não depende só dos esforços dos galeristas. “É necessário uma sociedade que desfrute de hábitos culturais, de políticas públicas de arte, museus atuantes com recursos para incentivar a produção e programas educacionais nas escolas”, defende. Em suas duas lojas, uma localizada no Caminho das Árvores, em Salvador e a outra em Feira de Santana, seu acervo conta com artistas representativos do modernismo e da arte contemporânea, como Carybé, Bel Borba, Alba Vasconcelos, Zivé Giudice, Mário Cravo Júnior e Calasans Neto. Ricardo Portela ressalta a necessidade de valorização dos nossos expoentes. Para ele, o pintor, desenhista, gravador e escultor Mario Cravo, foi o mais instigante e provocador dos artistas da modernidade na Bahia.

“Ele produziu com excelência em todas as categorias da expressão visual, mas, pela monumentalidade das suas obras, destacou-se como escultor”, analisa. “Uma obra vigorosa, de força expressionista, que prospectou sentimentos do seu povo, aludindo às vivências, aspirações, religiosidade e histórias libertárias da Bahia. Mario conversou com o mundo”, destaca. A grandiosidade do trabalho do artista resultou em um sobrenome de respeito nas artes visuais do país. Responsável por obras como A fonte e a Cruz Caída, Mário Cravo acolheu grandes artistas. Um deles foi Calasans Neto, de quem foi professor na Escola de Belas Artes.

“Calasans Neto defendia uma estética nova que antagonizasse com o academicismo que vigorava na Bahia. Produziu uma obra soldada à cultura popular. O cordel, por exemplo, lhe serviu como lugar de inspiração”, avalia Ricardo. Neto grafou e gravou animais metamorfoseados em seres mitológicos. Suas cabras e baleias, alados, ganhavam condições de voos e contagiavam o artista e os admiradores. Ele emprestou suas ilustrações a romances como Tereza Batista cansada de guerra e Tieta do agreste, de Jorge Amado. “Sua produção em matrizes de xilogravura, entalhadas em madeira, é considerada a mais representativa da sua trajetória”, ressalta Portela.

Poder da tradição – A possibilidade de compra e venda de objetos históricos tem conquistado um número crescente de admiradores, seduzidos pela tendência retrô e vintage. Mobiliário, prataria, quadros, imagens, lustres, louças, cristais, e arte antiga brasileira estão entre os artigos encontrados no charmoso antiquário de Itamar Musse, no bairro do Rio Vermelho. O espaço é fruto de uma história familiar que começou em 1918, com seu avô libanês. “Ele começou como a grande maioria dos estrangeiros, no comércio de rua e despertou para as antiguidades. Desde cedo me apaixonei pelos objetos de arte que via em casa e na loja”, conta.

“Na seleção, primo pela autenticidade, raridade, qualidade e procedência”, revela. Ele dá dicas para quem quer começar a colecionar ou adquirir uma obra. “Só comprem o que lhe tocam o coração e a alma e seja assessorado por um profissional do ramo. A peça deve ter certificação e ser autêntica, pois só assim será considerada como arte antiga”, adverte o empresário. Ele lembra que antiguidades são peças únicas feitas por artistas e artesãos do século passado. Para ele o principal diferencial do ramo de antiguidades é a segurança no investimento. “É um setor já consagrado, com peças de valor único e particular. O investimento em obras de arte sempre foi e será um dos setores mais seguros”, analisa.

Tipicamente baiana 

Objetos de beleza singular fazem parte da rotina da historiadora e museóloga Simone Trindade, mestre em Artes Visuais. Ela trabalha há 28 anos no Museu Carlos Costa Pinto, que possui a maior coleção de joias de crioulas em museus no mundo. As 130 joias em ouro e 27 pencas de balangandãs em prata foram reunidas pelo colecionador, Carlos Costa Pinto, na primeira metade do século XX, visando preservar a herança cultural da Bahia. “As joias de crioulas foram uma expressão ímpar na joalharia brasileira, uma arte tipicamente baiana. São insígnias de liberdade e poder. Eram reserva, investimento com liquidez, em caso de necessidade”, ressalta.

As peças contam a história de um grupo de mulheres negras e mestiças que, contra todas as dificuldades impostas por uma sociedade brasileira colonial e imperial, conseguiram a sua liberdade e a ascensão social e econômica. A museóloga, Simone Trindade, enaltece o percurso e a história de uma das mais antigas e clássicas mídias, o museu, que apresenta os seus acervos e exposições, elucidando a memória social, fruto do Patrimônio Cultural da Humanidade. “Os museus são guardiães da história, da memória. Visitar os museus é sempre aprender, refletindo sobre nós e o que nos une. Visitar museus é diversão, é deleite estético, é experimentação, é emoção, é despertar”, enfatiza.

Costa do Cacau: natureza e história

Belíssimas praias, a biodiversidade da Mata Atlântica e uma vasta riqueza histórica e cultural

A Costa do Cacau é formada por sete municípios da região sul da Bahia: Ilhéus, Itabuna, Itacaré, Canavieiras, Una, Uruçuca e Santa Luzia. São cerca de 190km de litoral com mar de águas azuis, extensa faixa de areia fina e branca cercada de coqueirais. Rodeando esse cenário paradisíaco, há toda exuberância da flora e da fauna da Mata Atlântica, como rios, lagoas, cachoeiras e manguezais. Junte a toda essa beleza natural uma história que começou no Brasil Colônia e seguiu com o cultivo das lavouras de cacau, época tão bem contada nos livros de Jorge Amado. Todos os municípios da costa cacaueira apresentam muitos atrativos, então vamos conhecer um pouco desses lugares.

Ilhéus

Terra da Gabriela ou Cidade Romance da Bahia. É assim que Ilhéus é carinhosamente chamada. Os apelidos surgiram numa referência aos livros de Jorge Amado, que tornaram a cidade conhecida no Brasil e no mundo. As obras narram o surgimento das lavouras de cacau e toda a riqueza gerada pelo fruto de ouro. O visitante que chega a Ilhéus pode viver um pouco dessa atmosfera num passeio pelo Centro Histórico da cidade. Ali estão pontos turísticos, como a imponente Catedral de São Sebastião; o Teatro Municipal de Ilhéus; o palacete do coronel Misael Tavares; o palácio de Paranaguá; o bar Vesúvio e o cabaré Bataclan, citados no romance Gabriela, Cravo e Canela; e a Casa de Cultura Jorge Amado, local onde o escritor morou com a família. Outro atrativo são as belíssimas praias ilheenses, como a Batuba, do Cristo e a dos Milionários, onde está situado o Cidadelle Praia.

Itacaré

Além de ser um point de surfistas, Itacaré atrai visitantes do mundo inteiro que chegam em busca de praias paradisíacas, ecoturismo e turismo de aventura. Na cidade, além do casario colonial, o turista pode desfrutar das noites bem movimentadas da Pituba. A rua oferece vários bares, restaurantes, cafés e lojinhas para todas as tribos. Entre as principais praias, estão: da Concha, da Ribeira e Engenhoca.

Uruçuca

Praias desertas, mata nativa, cachoeiras e fazendas de cacau atraem turistas em busca do ecoturismo. O município abriga o Parque Estadual da Serra do Conduru com uma das maiores biodiversidades do mundo e também a Área de Proteção Ambiental Itacaré-Serra Grande.

Costa do Cacau: Natureza e História.

Belíssimas Praias, biodiversidade da Mata Atlântica e uma vasta riqueza histórica e cultural

A Costa do Cacau é formada por sete municípios da região sul da Bahia: Ilhéus, Itabuna, Itacaré, Canavieiras, Una, Uruçuca e Santa Luzia. São cerca de 190km de litoral com mar de águas azuis, extensa faixa de areia fina e branca cercada de coqueirais. Rodeando esse cenário paradisíaco, há toda exuberância da flora e da fauna da Mata Atlântica, como rios, lagoas, cachoeiras e manguezais. Junte a toda essa beleza natural uma história que começou no Brasil Colônia e seguiu com o cultivo das lavouras de cacau, época tão bem contada nos livros de Jorge Amado. Todos os municípios da costa cacaueira apresentam muitos atrativos, então vamos conhecer alguns desses lugares.

Ilhéus

Terra da Gabriela ou Cidade Romance da Bahia. É assim que Ilhéus é carinhosamente chamada. Os apelidos surgiram numa referência aos livros de Jorge Amado, que tornaram a cidade conhecida no Brasil e no mundo.
As obras narram o surgimento das lavouras de cacau e toda a riqueza gerada pelo fruto de ouro. O visitante que chega a Ilhéus pode viver um pouco dessa atmosfera num passeio pelo Centro Histórico da cidade.
Outros atrativos são as belíssimas praias ilheenses, como a Batuba, do Cristo e a dos Milionários, onde está situado o Cidadelle Praia do Sul.

Una

O Cidadelle Ecoparque de Una é uma das principais atrações do município. Conhecido como o paraíso do mico leão da cara dourada, a área, de 380 hectares, é reconhecida como Reserva Particular do Patrimônio
Natural (RPPN) e um dos projetos mais importantes de conservação ambiental do estado, cujo mantenedor é o Cidadelle Empreendimentos. O local abriga o primeiro circuito de arvorismo instalado no Brasil, uma
passarela na copa das árvores.

Itacaré


Além de ser um point de surfistas, Itacaré atrai visitantes do mundo inteiro que chegam em busca de praias paradisíacas, ecoturismo e turismo de aventura. Na cidade, além do casario colonial, o turista pode
desfrutar das noites bem movimentadas da Pituba. A rua oferece vários bares, restaurantes, cafés e lojinhas para todas as tribos. Entre as principais praias, estão: da Concha, da Ribeira e Engenhoca.

Uruçuca


Praias desertas, mata nativa, cachoeiras e fazendas de cacau atraem turistas em busca do ecoturismo. O município abriga o Parque Estadual da Serra do Conduru com uma das maiores biodiversidades do
mundo e também a Área de Proteção Ambiental Itacaré-Serra Grande.

Encontro Beneficente de cães da raça Golden Retriever em Junho

No dia 02 de junho, das 09 às 13h, os cães da raça Golden Retriever da região Sul da Bahia têm programação garantida. A empresa Cidadelle promove, juntamente com empresas parceiras, o “5º Encontro de Golden Retriever Bahia Sul com Pet Delle”, na praça em frente ao Cidadelle Office, na Rodovia Ilhéus-Itabuna, Km 24. Para participar, os criadores devem contribuir com 01 quilo de ração que será doado a uma organização protetora de animais abandonados. É preciso apresentar, na concentração do evento, o cartão de vacina do cão, levar saquinhos descartáveis para recolher os dejetos e recipiente para água.

Programação do Dias das Mães do Cidadelle House

 

Este ano, a Comissão Social do Condomínio Cidadelle House, juntamente com o Grupo André Guimarães e parceiros, elaboraram uma programação de dois dias, para comemorar o Dia das Mães. No sábado, a partir das 13h, será aberta a “Expo-Artesanato Cidadelle – Compre com quem Faz”, com organização do Ateliê Pel Couto. Os expositores estão caprichando nos produtos para oferecer uma variedade de opções para os filhos presentearem as Mães.

Cidadelle Folia estreia nesse sábado e mistura paz com alegria

Os foliões do Cidadelle House se prepararam para o carnaval antecipado do Condomínio, que  acontece nesse sábado, 16, a partir das 13h, na área residencial do empreendimento. A concentração do evento será comandada pelo DJ Nadinho, que promete animar as crianças e aquecer os adultos, na estrutura que será montada na região do Lago.

A Juka Kids já confirmou a presença dos personagens infantis Lol,Chase e Marshall e também da equipe de pintura facial e escultura com balões. Quem também já mandou avisar que estará na Folia é a super profissional do ramo de beleza Mailane Costa. Ela vai fazer a cabeça da mulherada com  rápidos e práticos penteados carnavalescos. Ah, lembrando que terá premiação para a fantasia infantil mais criativa tanto para menino quanto para menina. Arrasem na escolha das fantasias, crianças!

Às 16h, será a vez da Banda Bahia Pop pisar no Circuito Principal da Festa e arrastar o público pela Rua P do Condomínio. De cima de um minitrio, os dois vocalistas já consagrados na região Sul da Bahia, Alex e Lilian, vão fazer a festa e prometem surpreender os condôminos e convidados que os conhecem cantando apenas MPB. “Traremos muito axé, relembrando principalmente os carnavais passados, mas sem deixar de apresentar alguns hits atuais que combinam com o perfil da festa e do público”, disse Alex, que esta semana se concentra nos preparativos do repertório do Cidadelle Folia.

Corrida Kids na programação do Dia das Crianças do Cidadelle

No próximo dia 20, filhos dos condôminos do Cidadelle House, com idade entre 04 e 12 anos, vão participar, às 16h, da I Edição da Cidadelle Run Kids. A corrida faz parte da programação do Dia das Crianças do Condomínio, mais uma realização da Construtora Cidadelle Empreendimentos, juntamente com a Comissão Social e Esportiva  do Empreendimento. A organização técnica da corrida é da Sport Ativo.

As comemorações pelo Dia das Crianças começam às 14h, na região do Lago, com uma programação recheada de diversão: Futebol de Sabão; Torta na Cara; Vôlei no Pano, Caça Tesouro, Baleado, Bandeirinha e Vampiro Vampirão. A Juka Kids vai levar a Balada Animada e os recreadores; a promessa é de não deixar ninguém parado, com muitas brincadeiras inovadoras.

O kit do Atleta Mirim deve ser retirado, no local do evento, entre às 09 e 12h, mediante apresentação do documento de identificação e uma lata de leite, para ser doada à Creche da Criança, localizada no Banco da Vitória, em Ilhéus.

 

Camisa do Kit do Atleta

Cidadelle comemora Dia das Mães com arte, serviços de beleza e boa música

O Cidadelle House vai comemorar em grande estilo o Dia das Mães. Elas serão recepcionadas pelo saxofonista Samuel Simão, com direito a espumante para brindar pela data e lembranças para as 100 primeiras mães que chegarem ao Clube Cidadelle, local do evento.

A artista plástica e condômina Ana Karina, que é mãe de Gabriel e Miguel, fará uma exposição de suas obras, no hall principal do Clube. Nesse mesmo local, a profissional do segmento de beleza, Mailane Costa, do salão Chaime Maison, oferecerá sessões de maquiagem para as mães participantes do evento.

Um Day Spa com Mayara Resende e Caroline Chaime está sendo preparado exclusivamente para as mães condôminas. Mayara Resende trabalhará com design para sobrancelha e Caroline Chaime com tratamentos corporais. As vagas são limitadas, com senhas distribuídas a partir das 11h.

Novos dispositivos de segurança e acesso na Rodovia Ilhéus-Itabuna

Por solicitação da Cidadelle Empreendimentos, a Superintendência de Infraestrutura de Transportes da Bahia (SIT) e a prefeitura de Ilhéus vistoriaram o atual acesso ao Cidadelle e ao supermercado Atacadão, além do local onde será implantado o trevo que desvia o tráfego para a futura via da duplicação. A visita ocorreu na última segunda, dia 26. Na ocasião, constatou-se a necessidade de se criar mecanismos para tornar esse trecho mais seguro. No local estão situados os supermercados Atacadão e Makro, além do bairro planejado Cidadelle.